eco-vegan lifestyle

  • Taiara Desirée

CURA ENERGÉTICA: BATE PAPO COM BETA LOTTI

Atualizado: Mar 8

Beta Lotti concedeu entrevista exclusiva para o Bloguesia, compartilhou muita energia positiva e vários relatos incríveis da sua vida. Vale a pena conferir TUDO!



Beta Lotti é um ser humano de muita Luz e eu me sinto feliz e grata pela oportunidade de compartilhar aqui com vocês esse bate papo tão especial e que traz um conteúdo tão enriquecedor.


Esta é mais uma das belas amizades que o veganismo me proporcionou e a vida me presenteou. Acompanho Beta há quase dois anos através das redes sociais e no VegFest do ano passado tive o prazer enorme de conhecê-la pessoalmente e poder sentir e confirmar toda a energia positiva que ela transmite. Desde então, viemos conversando e nos programando para lançar essa entrevista.


Não vou me delongar na apresentação da matéria porque quero deixar vocês sentirem essa energia especial através do nosso bate papo ma-ra-vi-lho-so. Vale a pena conferir cada palavra ou escutar tudo no vídeo ao final do post. Vamos lá?!




TAIARA. Olá Beta, obrigada por aceitar o convite e por sua presença aqui o Bloguesia, seja bem-vinda. Para iniciarmos nosso bate papo fala um pouco sobre você, seu estilo de vida e as coisas que mais lhe motivam...

BETA. Oi Tai, eu que agradeço a oportunidade dessa entrevista. Então vou começar contando um pouco da minha história. Desde criança eu já gostava de espiritualidade, de incensos, de pedras, cristais, cachoeira, eu só não entendia muito bem sobre isso, era muito criança, mas conforme o tempo foi passando eu comecei a fazer diversos cursos e retiros pelo mundo inteiro e aí comecei a entender esse meu chamado, essa minha missão. Eu digo hoje que é a minha missão! Então comecei me formando em jornalismo, trabalhando com agência de comunicação, mas eu não me sentia feliz, não sentia o meu coração vibrar e eu fui em busca disso. Ousadia foi uma palavra muito presente na minha vida. Então, como formação, hoje eu sou jornalista e comecei recentemente uma faculdade de Nutrição, mas eu não queria só saber de espiritualidade eu queria entender os fundamentos das técnicas e o que, na prática, realmente dava certo, porque já tinha escutado falar sobre Lei da Atração, Geometria Sagrada, mas eu queria entender como tudo isso funcionava, então comecei a buscar uma referência mais científica. Hoje eu sou Master Practitioner em PNL (Programação Neuroliguística), Master Coaching, trabalho com Rebirthing que é uma técnica de renascimento, que através da respiração a gente vai atrás das memórias do inconsciente, lá da vida intrauterina para descobrir quais são os primeiros traumas, trabalho com Hipinose, fiz vários cursos, me formei em Hoʻoponopono com o Dr. Hew Len. Depois fiz toda a minha formação em Reiki, eu também sou Mestre em Reike. Agora estou terminando a minha formação em Yoga e vou sempre buscando novidades. mas o Hoʻoponopono, para mim, é uma das bases e a Meditação também é uma das minhas maiores ferramentas de elevação energética e cura espiritual.


Nesse processo de fazer vários cursos, trabalhei muito tempo como treinadora motivacional fazendo treinamentos de PNL justamente para dar esse salto quântico, mas eu queria fazer uma coisa mais especial, para mulheres, algo que trabalhasse o todo, a mente, o emocional, o físico e o espiritual, tudo junto, e foi assim que eu criei o processo Metamorfose. Foram mais de 10 anos de estudo, de retiros espirituais com os maiores Mestres, de conversas com Gurus, de experiências que eu tive e fui testando. Para você entender, eu nasci com uma doença muito rara e 12 anos da minha vida eu passei frequentando um hospital diariamente. Eu nasci com os ureteres dilatados e diferente das outras pessoas eu não conseguia segurar o xixi, eu tinha que ir ao hospital para retirar isso com uma seringa, precisei fazer muitos testes para descobrir o que tinha, eu fui uma cobaia humana e aquilo me gerou muitos traumas. Eu criei uma fobia social enorme, não conseguia me comunicar com as pessoas, parei de falar, e eu precisei buscar ajuda para me curar, foi muito difícil. Precisei batalhar muito para começar a me expor em público e, então, eu comecei a fazer vídeos para a internet que era onde eu me sentia bem porque não tinha ninguém me olhando, era só eu e a câmera. Criei o meu blog onde comecei a escrever, lancei um livro chamado Amar é Crônico sobre romance, e foi assim que eu comecei a crescer e ter voz na internet. Então resolvi fazer um curso online para que eu pudesse ajudar mais pessoas, hoje eu tenho alunas do mundo inteiro que fazem os nossos treinamentos online, que fazem os nossos retiros presenciais de Harmonização e Equilíbrio. Esse é o meu trabalho hoje, ajudar na limpeza energética das pessoas, do planeta, e eu me sinto muito realizada com isso.





TAIARA. Explica um pouco sobre o que é a Cura Energética, a sua importância para o corpo, mente, espírito e, principalmente, como ela transformou a sua vida.

BETA. Todo ser humano, desde o dia que nasceu, já sofreu o seu primeiro trauma que é o nascimento. A gente está quentinho na barriga da mamãe e, quando sai, a gente lida com os frio, com a luz imensa, com o médico que dá uma tapinha na bunda, então aí surgem os nossos primeiros traumas e toda a energia daquele ambiente começa a influenciar na nossa vida, a energia dos nossos ancestrais, aquilo que eles fizeram influencia na nossa vida, a energia do inconsciente coletivo também influencia, a Astrologia, a energia que a gente mesmo produz está influenciando e, às vezes, a gente está preso em ciclos, em blocos de energia fazendo um ciclo repetitivo sem conseguir "sair da ilha para enxergar a ilha". Então, cada emoção humana tem uma frequência de vibração, por exemplo, o medo, a miséria, o medo da sobrevivência são energias de muita baixa vibração, energias que são mais altas são a gratidão, alegria, amor, paz. Eu acho que todo ser humano que está aqui na Terra está aqui para trabalhar, para evoluir, isso aqui é uma escola e a gente veio pra cá justamente para isso, para aprender a limpar as memórias que às vezes a gente carrega dos ancestrais, ou memórias que a gente criou através das nossas experiências. A gente precisa conseguir limpar todas essas produções de memórias que muitas vezes nem têm consciência, está ali no nosso inconsciente fazendo a gente ter padrões repetitivos, viver o mesmo ciclo, precisamos conseguir quebrar isso, essas correntes, essas barreiras e vibrar num padrão mais alto de felicidade, de amor, de harmonia. Não são todos os dias que a gente consegue estar feliz, a felicidade é feita de momentos, mas quando a gente começa a entender mais os nossos próprios ciclos e limpar a nossa energia, equilibrar os nossos chacras, começar a criar essa conexão com a fonte que é infinita de Luz e de Amor pra gente o tempo todo, conseguir criar mais conexão espiritual, mais elevado, mais feliz e uma vida muito mais saudável a gente consegue ter.





TAIARA. Qual o seu conselho para começar um dia saudável e bem-sucedido com as práticas da Cura Energética?

BETA. Na minha vida, por exemplo, quando eu comecei a unir essa questão energética aplicando técnicas milenares, fazendo meditação, cuidando dos meus chacras, foi onde eu realmente comecei a ter resultados positivos, foi onde uma chavezinha virou na minha vida e eu entendi que tudo aquilo que eu estava emanando eu estava recebendo, então eu precisava mudar essa vibração e eu comecei a fazer isso com frequência. Todos os dias eu comecei a meditar, a praticar Hoʻoponopono, a aplicar Reiki em mim e conforme eu fui mudando eu percebi que o ciclo das pessoas que estavam interligadas comigo começou a mudar também. Através da minha mudança eu comecei a interferir na mudança dos meus familiares, e eu entendi que não era o outro que eu tinha que mudar, eu precisava mudar a mim mesma. Então tudo aquilo que eu culpava os outros eu comecei a tirar, passei a assumir a responsabilidade pela minha própria vida, pelas coisas que eu estava atraindo no meu agora, e comecei a limpar isso através das técnicas que eu aprendi com o Hoʻoponopono e aí eu comecei a ter muitos resultados. Passei a me comunicar de uma forma mais eficaz, comecei a atrair muitos seguidores que viram essa mudança na minha vida, meus familiares começaram a ver que eu estava mudando, estava mais em paz, mais feliz e as pessoas queriam saber o que eu estava fazendo, e foi assim que eu comecei a levar isso. Mas eu acredito que a cura energética começa desde o nosso prato.





TAIARA. Fala um pouco sobre como você vê a importância da alimentação consciente.

BETA. A cura energética começa desde o nosso prato, do nosso campo físico, então tudo aquilo que a gente come tem um impacto muito grande na questão energética, como é o caso de comer carne. Porque o animalzinho, por exemplo, antes de ir para o prato de muitas pessoas, ele sofre um processo horrível de dor, sofrimento e tudo aquilo fica impregnado no DNA energético dele, então quando a gente consome um alimento, a gente está consumindo todo o DNA energético daquele alimento, consequentemente, se o animal sofreu, sentiu raiva, tristeza, medo, a gente passa a vibrar isso também. E como eu falei, cada emoção tem uma frequência vibratória, então se eu estou comendo medo, tristeza, dor, automaticamente eu vou está vibrando naquilo. Muitas vezes as pessoas ficam tristes, com raiva, irritadas e elas não sabem porquê. Então, nos meus processos, a gente começa trabalhando primeiro o campo físico, que é fazer essa limpeza do que a gente tá comendo, entender como é que o nosso corpo se alimenta, do que ele precisa realmente - e ele precisa de comida de verdade!


A gente precisa cortar todas essas coisas que fazem a gente vibrar mais baixo e assumir a responsabilidade pelo que a gente está fazendo, porque às vezes a gente não quer ver, né? O ser humano tá muito acostumado com coisas rápidas, então ele não mastiga direito, não toma água, e isso tudo tá influenciando no campo energético sem a gente nem perceber, fazendo com que a gente fique cada vez mais triste, por isso que o mundo hoje está cheio de depressão, de ansiedade, porque as pessoas não estão tendo consciência de que elas não estão tendo uma alimentação consciente. Depois a gente trabalha o campo das emoções, que são os traumas, o que cada emoção quer dizer, o que é realmente a nossa sombra, a tristeza, a raiva, o que essa "sombra" quer nos dizer, porque muitas vezes nem a gente se entende né? Depois a gente trabalha no campo mental, que é a mente, que é, por exemplo, o "criar novos hábitos". O hábito de me alimentar com amor, de me nutrir energeticamente todos os dias, porque carregar o nosso celular a gente nunca esquece, não esquece de escovar os dentes, mas essa nutrição energética, de fazer uma oração, uma meditação, as pessoas não têm costume, a grande maioria não tem. Então a gente trabalha a reprogramação mental para criar novos hábitos realmente positivos, que vão trazer um impacto maior, porque tudo aquilo que eu assisto, que eu ouço geram emoções que vão trazer uma vibração energética para dentro do nosso sistema. Então a gente trabalhar no campo da mente é muito importante para o todo. E nesse processo a gente também começa a trabalhar a questão da espiritualidade. Qual é a minha missão? O que eu estou fazendo aqui na Terra, afinal? E isso é um processo muito bacana porque, no final, a grande maioria das mulheres se descobre, descobre que tá num relacionamento abusivo porque ela aceitou, e consegue se desprender disso, começa a descobrir a sua missão na Terra, o que viemos trazer e deixar aqui para as próximas gerações, o que estou plantando aqui para os meus filhos, netos, o que as próximas mulheres vão ganhar com a minha experiência aqui na Terra. E aí a gente começa a gerar uma consciência planetária, do todo, entender que nós somos uma coisa só, e é isso que eu acho que é muito bonito: quando a gente trabalha corpo, mente, emoções e espiritualidade juntas.





TAIARA. E como foi a sua transição para o veganismo?

BETA. Eu comecei a ter consciência da importância da alimentação na minha vida, de duas formas. Primeiro quando descobri que eu tinha hipotireoidismo e foi um processo em que eu engordei muito, cheguei a ter 75 kg, eu estava muito infeliz com a minha vida, eu trabalhava que nem uma louca, e quase fiquei cega, já estava com início de diabetes, com as taxas todas desreguladas e eu cheguei no hospital quase não enxergando mais nada. Minha médica até falou que "mais um pouquinho eu teria problemas mais graves". Foi a primeira vez que tive um "baque"! Eu tinha vinte e poucos anos, era muito nova para estar com tantas doenças. Hipotireoidismo é uma coisa muito grave, porque é a nossa tireoide que produz todas as glândulas para o nosso corpo. Então comecei a pesquisar um pouco mais sobre alimentação e aí eu comecei com uma dieta básica como todo mundo faz. Mas, ainda assim, eu não conseguia bons resultados, não conseguia emagrecer. E aí, um dia, eu fui fazer um trabalho Espírita com uma amiga, ela me convidou para ir a um ritual religioso, eu não sabia bem o que era, mas, como eu te falei antes, eu sempre fui muito aberta a todas as religiões e aí a gente foi a um Centro de Candomblé e, no meio desse ritual, eu vi eles matarem na minha frente um galo. Só que nesse momento foi onde eu tive um despertar para essa questão da consciência do que que eu estava consumindo. Porque eu via a tristeza, eu queria tirar aquele animal de lá, eu imaginei que ele não conseguia falar e eu, por muitos anos da minha vida, não conseguia me expressar, dizer que estava sentindo dor, que eu não estava gostando de estar passando por aquilo e aí eu me coloquei no lugar daquele animal. Foi a primeira vez que eu tive empatia realmente! E aí eu cheguei em casa e chorei muito naquele dia, as pessoas me pediram desculpas, tentaram me explicar que na religião era assim... mas eu não conseguia entender como que um Deus precisava sacrificar um bichinho, eu não conseguia... Aquilo não fazia parte de mim, o meu Deus não era aquele, e o meu Deus falou comigo através do meu coração naquele dia. Então comecei a pesquisar muitas coisas, assisti aquele Documentário Cowspiracy e através dele eu comecei a entender sobre a produção do leite, dos ovos, do queijo e como tudo aquilo estava fazendo mal para mim e para a minha vibração energética, e foi aí que eu tive o meu grande insight sobre a alimentação realmente.


E foi muito INCRÍVEL, porque eu me tornei vegana do dia para a noite, primeiro eu me tornei vegetariana, mas já com a intenção de ser vegana, então eu parei de comer todas as carnes e eu já pensei "eu vou fazer o processo no meu tempo, claro, mas eu tinha como meta me tornar vegana", porque eu entendi como um insight de Deus na minha vida, foi como se eu entendesse que aquilo ali não era certo, e aí eu comecei a até ler passagens da Bíblia que começaram a me despertar mais ainda, que eu comecei a ver que a gente não precisava daquilo. Eu comecei a perceber que aquela dor que o animal estava sentindo, que ele sentiu, era aquilo que a gente ia comer, e aquilo ia ressonar no nosso campo vibratório. Sem falar de toda a questão planetária, que os animais não estão aqui para nos servir, Nós, na verdade, temos que cuidar deles, ajudá-los no processo de evolução deles e não eles nos servir. E como o ser humano ainda está fechado para essas questões, como existe muito ego, a gente se achar assim tão superior ao ponto de usar os animais para tantas coisas. E aí caiu essa ficha!


Quando eu mudei a minha alimentação, a minha vida mudou completamente, o meu campo de energia mudou, eu me tornei uma pessoa mais amorosa, mais consciente, eu senti o meu corpo mais leve, uma felicidade tão absurda de tá conectada com a natureza, com os animais, de poder dizer assim "eu entendo vocês, eu amo vocês de verdade", isso não é uma coisa só da boca pra fora como muitas pessoas falam "ah, eu amo os animais, amo meu cachorrinho, mas eu tô comendo uma vaquinha, um porquinho e tá tudo certo!". Caiu essa ficha e foi uma mudança completa de cenário na minha vida, foi um divisor de águas, onde eu realmente digo que a espiritualidade me tocou - foi coisa de Deus! E eu agradeço até aquele momento porque se não fosse ele talvez eu não tivesse pesquisado tanto, se eu não tivesse visto com os meus olhos o que fazem com os animais, eu não teria tido esse despertar. Hoje eu levo isso para os nossos cursos, eu ajudo as minhas alunas a fazerem uma alimentação consciente. Eu nem falo muito sobre veganismo porque as pessoas ainda esbarram muito nessa palavra, existe muito debate em cima do veganismo, então eu falo sobre alimentação consciente, sobre a gente realmente ter consciência sobre aquilo que está comendo e sobre o impacto planetário que isso causa.





TAIARA. Como a respiração influencia nosso estado físico, mental e emocional? O que podemos fazer para melhorar nossa vida através da respiração?

BETA. A respiração é o sopro da vida! Quando a gente respira está trazendo a energia do Prana, que é a energia do Universo. Então a respiração, por exemplo, nos conecta com o momento "agora", porque a gente costuma viver numa gangorra entre o passado e o futuro, o nosso ego está sempre nos distraindo para a gente ir para o passado e para o futuro e ficar no agora é um desafio para muita gente. Viver o seu dia de hoje, está presente onde você está, com as pessoas com quem você está, estar presente no seu trabalho, isso é muito difícil, as pessoas estão sempre buscando o passado e o futuro e isso gera muita depressão, muita ansiedade. Então, uma respiração consciente, além dela oxigenar todo o nosso sistema, nossas células com a energia pura, a energia vital, ela nos conecta com momento agora, ela traz a nossa mente para o agora, ela acalma a mente, acalma todo o nosso sistema. A gente se nutri energeticamente quando a gente faz uma respiração consciente.


Dentro do Hoʻoponopono a gente tem uma respiração que se chama "Respiração Ha", que é onde você respira profundamente contando até 10, segura essa respiração contando até mais 10, depois você solta contando até mais 10 e, sem ar dentro de você, você conta até mais 10. Conta no seu ritmo. Isso é quase como você dizer: "Eu te amo para o Universo"! Isso tá acalmando o seu sistema, alinhando os seus chacras e isso é um processo tão lindo, porque a grande maioria das pessoas não presta atenção na respiração, como é um processo involuntário do corpo, você já está acostumado a respirar, você não presta atenção e, as vezes, você nem respira direito, as vezes, você não puxa o ar, não tira todo esse ar e, as vezes, quando você solta tudo aquilo está liberando cargas emocionais, está liberando energia. Então a respiração é o que nos conecta realmente com a fonte. A gente pode viver sem comida, eu já fiquei 21 dias sem comida e estou aqui para contar a história pra vocês, mas, sem respirar, a gente não vive. Então a respiração nos conecta diretamente com a fonte, com a energia, é muito importante pro nosso dia a dia ter momentos de realmente fazer uma pausa, prestar atenção em como a gente está respirando, respirar profundo, soltar bem o corpo, porque é isso que vai trazer clareza, às vezes, você tá num turbilhão de pensamentos, não tá conseguindo organizar a mente, para tudo..... faz uma respiração bem profunda, se conecta com o momento agora, que aí o insight vem. A respiração nos conecta!





TAIARA. Sobre as nossas emoções. Como o ego sabota o indivíduo e quais técnicas você aconselha para a atenção plena (mindfulness)?

BETA. Muita gente costuma ver o nosso ego como um inimigo, mas o ego é quem torna a gente único também, é ele quem diz: "Oi, eu estou aqui, eu sou único!" Só que ele, às vezes, não foi doutrinado, ele te domina, está cavalgando em cima de você e você não tá ensinando o seu ego. Então, por exemplo, muitas pessoas se esbarram no ego dizendo assim: "Ah, eu quero mudar minha alimentação!", mas aí o ego grita dentro de você "Não, mas eu quero comer carne, eu vivi isso a vida inteira, eu preciso disso!" e aí você cede. E ele tem essa mania de tá levando a gente para o passado e pro futuro, porque ele quer nos distrair do momento agora, porque ele não quer que você perceba que você é muito maior que isso, ele é como uma criança mimada. Então, o que a gente tem que fazer? A gente tem que colocar o nosso ego dentro de um quadradinho e toda vez que ele produzir um pensamente negativo, lhe disser que você não é capaz, não veja isso como um inimigo, mas, como alguém que tá "sabotando" o processo da gente se conectar com a fonte, justamente por não entender que nós somos a fonte e querer ser só o indivíduo. O ego às vezes é aquele que faz a gente sentir inveja, se comparar, faz a gente não se sentir tão especial. Então a melhor forma da gente lidar com o nosso ego é estando na presença, no agora, que é o único momento real, o único momento que a gente tem na vida é o agora, a gente não pode mudar o que passou e também não pode viver no futuro, porque ele nem começou, o futuro é o que a gente tá plantando no agora. Então devemos lidar com esse ego através da meditação, da respiração, pois quando você tá atento no agora, quando o ego produz um pensamento negativo, por exemplo, você vê alguém e o ego diz: "Nossa, essa pessoa é melhor do que eu!", automaticamente você diz: "Não ego, nós também somos muito bons!". Você tem que começar a conversar com o seu ego, mas também educá-lo e não tê-lo como uma coisa errada, porque é essa parte que te traz os desafios que são necessários para a sua evolução aqui na Terra.


Então não briga tanto com o ego, conversa com ele. Ele pira de vez em quando, ele quer o que ele quer e aí você tem que começar a conversar com ele e decidir o que é que é melhor para você e tomar realmente as rédias da sua vida. Nem sempre a gente consegue, mas conforme a gente vai doutrinando a nossa mente, vai colocando esse ego como uma criança mimada que vai dar chilique de vez e quando e começar a educar essa criança, as coisas mudam na nossa vida. A gente para de se comparar, de se sentir menos ou mais que alguém, a gente começa a entender que é tudo uma coisa só e que essa nave aqui só vai decolar se todo mundo tiver unido. E aí a vida ganha um sentido mais bonito, a gente começa a se iluminar, a se conectar cada vez mais com a fonte. Eu acho que isso é o mais importante, meditar, começar um processo de meditação e, hoje, para começar a meditar existem várias formas, hoje tem meditação guiada, meditação Zazen, tem vários tipos. A pessoa tem que escolher qual que é a melhor para ela, essa coisa de pensar que meditar é difícil - é mentira! Existem milhares de técnicas e você vai descobrir qual é a melhor para você. Se não sabe qual começar, começa respirando, começa pela respiração porque você traz a mente para o agora e começa a ter consciência de como o seu ego tá influenciando na sua vida e como ele, muitas vezes faz com que você se autossabote, porque a gente não pode culpar o ego, a decisão de ouvir o ego é nossa, então traz essa responsabilidade pra você: O que é que você está se permitindo?!






TAIARA. Quais os benefícios da Consciência Prânica e o que ela significa?

BETA. O Prana é a energia vital do Universo, tá presente em tudo, no ar, no sol, na natureza, e o ser humano está muito desconectado dessa natureza, que é a nossa natureza, que é a nossa Mãe Terra. Nós estamos dentro de um grande útero na verdade, que é o planeta Terra. Então, assim como as plantas se alimentam, fazem a fotossíntese, nós também precisamos dessa energia prânica para a gente se sentir bem, se sentir conectado com a nossa mãe, a nossa verdadeira mãe ou pai, como você quiser denominar isso, nosso criador. A gente tem essa necessidade, os nossos pais não são só os nossos pais aqui da Terra, a gente tem pais espirituais, a gente tem uma família cósmica muito grande, e a consciência prânica nada mais é do que você se nutrir dessa energia vital, que é vital para você se sentir bem, conectado.


E como que eu faço para me nutrir do Prana? Através do sol, um banho de sol, colocar os pés na terra, se conectar com a terra, tomar água, a água é riquíssima em prana, através dos alimentos que vêm da Terra, os legumes, os vegetais, as frutas, tudo isso que veio da Terra, que é nutrido com a luz do sol, tudo isso enriquece a gente. Então a gente tem que ter essa consciência. Muitas pessoas quando estão com o pensamento muito acelerado, não estão se sentindo muito bem, o que elas fazem? Elas vão para a natureza se reconectar. Essa natureza é o nosso carregador. Lembra que eu falei que a gente não se nutre?! Então como você carrega o seu celular, você precisa se recarregar dessa energia, é a energia que nos nutre. Assim como a gente tem a energia que carrega o celular, o computador, os nossos aparelhos eletrônicos, a gente também precisa de energia e o prana é essa energia, que a gente encontra disponível na terra, na água, nos alimentos que vêm da terra e quando a gente se conecta com isso a nossa energia se eleva de uma forma tão linda.


Por isso que as pessoas às vezes vão buscar ficar perto da natureza quando estão muito estressadas, tomar um banho de mar, de cachoeira, porque tudo isso eleva, limpa, nutre, faz com que a gente se preencha dessa energia. Se você observar sua pele quando você passa um creme, por exemplo, a sua pele suga esse creme, então a sua pele também tá sugando essa energia do ar, as nossas células, os nossos poros estão sempre puxando essa energia, por isso que é muito importante a gente ter essa consciência prânica de tá se nutrindo dessa energia da terra diariamente, nem que seja assim: Se tem um jardinzinho aqui perto de casa, vou colocar meu pezinho direto na terra para descarregar a energia que eu estou, vou abraçar uma árvore, vou tomar um copo de água filtrada, vou me nutrir com mais água durante o dia, vou parar com os refrigerantes, com os industrializados, vou comer alimentos que são ricos, que vêm da terra. Tudo isso ajuda a gente nessa consciência prânica, porque eu acho que essa é a nossa verdadeira natureza, é isso que nos conecta com a nossa bateria de vida, com aquilo que nos nutre verdadeiramente.





TAIARA. Como as técnicas de limpeza espiritual podem elevar a nossa energia e, consequentemente, o nosso bem-estar e qualidade de vida?

BETA. Existem muitas técnicas! Existem os mantras, a Yoga, o Hoʻoponopono, o Reike, a Terapia Tântrica, são tantas técnicas dentro do campo holístico que eu acho que, assim como a religião, a pessoa tem que descobrir o que funciona melhor para ela. Eu, por exemplo, gosto muito de trabalhar com cristais, com aromaterapia, com cheirinhos pro meu dia a dia, gosto dos mantras, da oração como uma técnica de elevação também, existem os banhos que você pode fazer para alinhar os seus chacras. E aí cabe a cada pessoa assim como uma religião mesmo, descobrir o que combina mais. Porque às vezes o que faz bem para uma pessoa, para outra não funciona. Cada pessoa trabalha sobre um campo representacional diferente, por exemplo, algumas são mais auditivas, outras já são mais visuais, outras pessoas são mais sinestésicas, elas precisam sentir a vibração. Então, como que eu faço? Eu preciso sentir qual é o meu sistema representacional mais aguçado. Se é o auditivo? Se eu gosto de ouvir música, eu vou ouvir Mantras! Se eu sou mais visual? Mandalas! Coisas que trabalham mais a minha visualização, imagens. Se eu sou mais sinestésico? Eu vou fazer mais uma meditação guiada para que eu possa sentir mais a energia. Trabalhar com as cores, com os mantras, com os aromas, tudo isso ajuda na nossa limpeza energética.


Mas falando de técnicas mesmo, para mim, hoje, a mais poderosa é o Hoʻoponopono, porque ele limpa as memórias inconscientes, as memórias compartilhadas com o coletivo inconsciente, com os ancestrais, ela limpa sem a gente precisar ficar "cavocando" aquilo, eu não preciso descobrir de onde veio aquilo. Então, por exemplo, se eu me sinto hoje uma pessoa insegura ou se eu tenho um problema de rejeição, baixa autoestima, eu não preciso saber de onde veio isso, eu só entrego isso para a Divindade, eu peço perdão por estar sentindo isso e automaticamente eu limpo isso nas minhas células. Então o Hoʻoponopono trabalha como uma forma de limpeza profunda do DNA energético, por isso que hoje, para mim, é uma das técnicas mais eficazes quando aplicada de forma correta, quando feita com energia, com intenção. Eu já vi muitas pessoas e já tive casos de pessoas que se curaram de câncer só com o Hoʻoponopono. Então é uma técnica realmente que para mim é muito eficaz de cura e é uma coisa muito simples: "Eu sinto muito. Eu te amo. Me perdoe e Eu sou grato!". A gente puxa a responsabilidade daquilo que tá se manifestando na nossa vida e entrega para a Divindade que habita em nós. Cada um tem essa conexão com o Divino, entrega isso e essa limpeza é feita. Então o Hoʻoponopono age no consciente, no inconsciente, no campo das emoções, da mente, do espírito, do corpo, e quando a gente tá trabalhando com esse sentimento de gratidão... a Gratidão vibra muito mais de 900 Hz, então é muito alta a frequência vibratória da gratidão, de falar eu te amo, de falar me perdoe, porque você tá limpando, tá quebrando o carma, e aí você tá livre daquilo e você consegue ficar em paz.


Hoje eu também trabalho muito com a Chama Violeta, que faz parte da Fraternidade Branca, que é como se fosse todos os Mestres de Luz do planeta unidos dentro de uma fraternidade, então tem Buda, Jesus, os Mestres de todas as religiões juntas, e a Fraternidade Branca traz pra gente os Sete Raios como uma ferramenta de cura. A Chama Violeta a gente pode imaginar como uma Luz Violeta em volta da gente, a gente pode emanar essa Luz para alguém, e essa Luz é transmutadora de energia. Hoje tem exercícios como o Autopasse da Chama Violeta que é muito poderoso, eu sempre me sinto muito bem quando eu aplico em mim ou nas pessoas. Em qualquer situação, por exemplo: Você está vendo uma briga e automaticamente você olha para aquela situação e imagina uma Luz Violeta e pede para que Saint Germain eleve aquelas pessoas. Eu já tive um caso uma vez que eu estava caminhando em Foz do Iguaçu com o meu marido e na minha frente tinha uma criança especial, ela tinha Síndrome de Down e os pais estavam gritando muito com aquela criança e aquilo estava me incomodando já. Eu não posso interferir naquilo que estou vendo, mas aquilo está se manifestando na minha realidade, então eu trouxe aquela responsabilidade para mim, imaginei uma linda luz violeta em volta de toda aquela família, comecei a emanar muita luz violeta e a aplicar o Hoʻoponopono junto com a Luz Violeta, uni as duas técnicas e aquela criança se virou pra trás e olhou pra mim, os pais olharam, como se eles tivessem sabendo que eu estava fazendo alguma coisa, e foi lindo de ver, porque a mãe parou, se ajoelhou na frente do filho pediu perdão e abraçou ele. Eu me emocionei muito porque eu não sabia do poder da Chama Violeta e naquele dia eu tive uma confirmação espiritual de que quando a gente realmente emana com intenção, com amor no nosso coração, eu acho que as pessoas recebem realmente. Então a gente também tem que crer, tem que começar a acreditar nessas técnicas, porque as vezes as pessoas aplicam as técnicas sem acreditar. Eu acho que a fé e colocar realmente a intenção fazem as coisas acontecerem, é a Lei da Atração. Se a gente tem algum tipo de dúvida em relação as técnicas que a gente tá aplicando é melhor nem aplicar, porque pode até acontecer, mas a gente nem vai tá tão aberto para perceber que tá acontecendo. Então, quando for aplicar uma técnica, aplica com fé, com intenção, às vezes uma simples oração, um simples pensamento positivo é a melhor técnica de limpeza espiritual, de limpeza energética, porque tudo começa na verdade com na intenção da gente.






TAIARA. Por fim, qual mensagem você gostaria de deixar para o mundo?

BETA. A mensagem que eu quero deixar pro mundo é que a gente se ame um pouco mais, um pouco mais a cada dia. Que a gente pare de julgar, que pare de se comparar, que a gente pare de buscar defeitos e comece a limpar a lente do nosso olhar pra ver as coisas mais bonitas, porque existe muita beleza no mundo, existem muitas pessoas boas, pessoas honestas. A gente não precisa mais acreditar que estamos sozinhos, porque nós não estamos sozinhos, nós estamos todos juntos e a gente precisa se abraçar mais, realmente buscar ver o melhor no outro e ver o melhor dentro da gente e se sentir pleno, completo, porque a grande maioria das pessoas está num processo pessoal de luta interna, todo mundo tem sua própria luta interna. Então, que a gente pare de comparar a nossa luta com a luta do irmãozinho, porque sempre vai ter alguém na nossa frente e alguém atrás nessa grande fila, né?


Que a gente comece a se olhar com mais amor, olhar para os nossos irmãos com mais amor e entender que no fundo nós somos uma coisa só, que somos co-criadores também, porque nós somos filhos de Deus, que nós somos partes dessa criação linda e maravilhosa, e o mundo é um lugar muito bonito, muito maravilhoso. Pra cada coisa errada que a gente vê, existem milhões de coisas lindas, milhões de pessoas querendo ajudar uns aos outros, milhões de pessoas contribuindo pra cura e pra elevação do mundo. Quando a gente começar a limpar o nosso olhar e ver as coisas mais boas, a gente vai começar a influenciar as pessoas que estão ao nosso redor, nossa família, os nossos amigos e é assim a gente vai fazer desse, um mundo mais bonito. Que a gente comece a prestar atenção nas sementes que a gente tá plantando agora, porque são essas sementes que as próximas gerações vão colher.


E começar a se questionar sobre as crenças que a gente tem e que às vezes a gente não tá enxergando, que a gente vem carregando uma malinha pesada, então, que a gente pare um segundo no nosso caminho, que a gente respire fundo, abra essa mala gigantesca que a gente vem carregando e tire todo esse peso de dentro e selecione o que realmente vale a pena carregar nessa jornada. Porque o trem tá passando e ele tá passando rápido demais, daqui a pouco vai passar num instante que a gente vai chegar lá no final e dizer: "Nossa, por que eu carreguei tudo isso até aqui? Por que eu não carreguei uma bagagem mais leve? Por que eu não plantei coisas mais saudáveis?". Começar a trazer essa consciência de que é tudo uma coisa só, e o que a gente faz aqui é que vai impactar as próximas gerações, e é muito importante a gente tá lúcido, tá mais consciente, se livrar de todos esses vícios, drogas que a gente vem regando.


Então imagina que você tem uma "Flor da Vida" dentro de você e que essa flor tem raízes, que essa flor vai gerar novas florzinhas, e com o quê que a gente vai nutrir essa flor? Vamos nutrir a flor da nossa vida com mais amor, mais esperança, e vamos passar adiante isso, vamos parar um pouco de julgar o outro, de comparar, de tudo isso e vamos focar no que a gente tem de melhor pra deixar nesse mundo, né? Eu quero deixar pra vocês aqui com essa mensagem: Gratidão! Muita gratidão por a gente tá aqui nesse agora, nesse tempo, nessa geração, produzindo tanta coisa boa, tanto amor, deixando tanta energia positiva. Quero deixar muito amor pra vocês, muita Luz, muita clareza mental, muita conexão com a fonte porque tudo o que eu estou passando aqui para vocês, na verdade, não é nada meu, é tudo deles, eu sou só um corpo aqui que tá passando uma mensagem, eu sou só a mensageira.


E a mensagem que eu quero realmente deixar é que a gente realmente se ame, se acolha um pouco mais. E por onde começa esse amor? Com o nosso próximo, e o próximo não é quem tá distante da gente, é quem tá pertinho, é a nossa família. Então começa perdoando os seus pais, os seus irmãos, começa tentando amar mais eles, perdoar todas as nossas diferenças, porque o nosso maior desafio nunca esteve distante da gente, o nosso maior desafio começa na convivência familiar, quando a gente começa a amar esse próximo que é o que tá pertinho, que é o nosso relacionamento, o nosso parceiro, os nossos pais. Precisamos perdoar eles, porque um dia a gente também vai ter que ser perdoado. Então começa assim, perdoando, e perdoando você mesmo por qualquer coisa que você acredite que tenha feito de errado e que esteja carregando um peso. Se perdoa! Se liberta para que você possa ir além. Namastê, queridos! Muito obrigada por tudo!





PODCAST: ESCUTE O BATE PAPO COMPLETO NO VÍDEO ABAIXO.




Gente, que incrível foi transcrever essa entrevista aqui para vocês. Acredito fielmente na Lei da Atração e tenho plena consciência de que o Universo gerou essa conexão para que pudéssemos partilhar aqui com vocês toda essa positividade. Quanta sintonia vi em meus pensamentos e o da Beta, e eu me sinto muito feliz por sentir essa harmonia e poder trazer esse conteúdo cheio de afeto para vocês.


Gratidão Beta, por dividir conosco tanta Luz e por nos alegrar com o seu carinho. Desejo Felicidade Genuína e que toda essa energia positiva se multiplique em sua vida.


Por fim, espero do fundo do coração que vocês tenham gostado do nosso bate papo, e também sugiro que acompanhem Beta Lotti através do seu perfil no Instagram @betalotti para ficar por dentro de tudo que ela propaga através da sua linda missão de vida.


Namastê!

Taiara Desirée



#entrevista #batepapo #interview #Bloguesia #BetaLotti #TaiaraDesiree #veganismo #curaenergetica #Hooponopono #meditação

103 visualizações

2020 POR TAIARA DESIRÉE - CNPJ 26.259.889/0001-10 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.